Mais de 42 mil vagas devem ser preenchidas em 2019

09/09/2018 07:34 - Atualizado em 09/09/2018 08:16

Uma das orientações é a pessoa estudar com pelo menos 6 meses de antecedência (Foto: Divulgação)

Quem almeja usufruir da estabilidade no serviço público tem como primeiro passo escolher uma área com a qual já tenha uma certa afinidade. Em seguida, buscar orientação especializada para dar início à preparação para o concurso público. Embora ainda não haja previsão para a realização de novos concursos no âmbito federal no próximo ano, de acordo com o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), o Projeto de Lei Orçamentário Anual (Ploa) de 2019 terá uma reserva financeira que considera o preenchimento de 42.915 vagas no funcionalismo público, bem como 4.354 postos que estão em fase de criação.

Por isso, se a intenção é encarar os próximos concursos, essa preparação deve começar com antecedência, conforme explicou o professor de cursinho preparatório para concursos públicos Allan Miranda, que ministra disciplinas na área de exatas (matemática, raciocínio lógico, matemática financeira e estatística).

Segundo o Ministério, estão garantidas as nomeações dos concursos já autorizados ou em andamento, como os da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) e Agências Brasileira de Inteligências (Abin). Além disso, a realização de novos concursos não está totalmente descartada uma vez que o governo contará com uma reserva técnica de R$ 411 milhões no orçamento.

PREPARAÇÃO

Escolher a área do concurso que pretende fazer é uma forma de o candidato manter um foco para passar naquele concurso específico. Além disso, o professor Allan ressalta que o candidato terá de escolher entre duas opções: estudar sozinho – assistindo vídeo-aulas, comprando livros e etc - ou frequentar aulas presenciais em um cursinho preparatório.

“O candidato precisa buscar as provas anteriores para conhecer a banca que vai aplicar o concurso”, pontua. O professor recomenda ainda que o candidato comece a estudar com pelo menos seis meses de antecedência, antes de o edital do concurso ser liberado. “Organização, planejamento e estar motivado é o mais importante. Por isso, às vezes, é importante fazer presencial (cursinho) porque ele vai interagir com outras pessoas que têm o mesmo objetivo e conhecer professores que podem orientá-lo melhor”.

ORIENTAÇÕES

- O primeiro passo é escolher a área para a qual pretende prestar o concurso. Por exemplo, se você tem afinidade com disciplinas de exatas pode optar por bancos, Receita Federal e etc. Mas se tem conhecimento na área do Direito, pode optar por tribunais, Ministério Público da União, carreiras policiais, dentre outros.

- Defina se irá estudar por conta própria ou se vai buscar um direcionamento em um cursinho presencial.

- Procure conversar com alguém que já passou no concurso que você pretende fazer ou procure um professor que possa orientá-lo para montar um planejamento de estudo.

- Se você trabalha fora e tem pouco tempo para se dedicar aos estudos, procure bons materiais para focar.

- No planejamento de estudo, estipule o tempo e uma rotina a seguir, matérias que serão estudadas e etc – estabeleça um período semanal para estudar, por exemplo, estudar 20h/semana.

- Procure provas anteriores do concurso para conhecer a banca – o site PCI Concursos disponibiliza esse material gratuitamente para baixar

- Se você estuda uma hora por dia, faça exercícios pelo menos período

– uma hora/dia.

- Não deixe acumular matéria.

- Em concursos como o da PRF são cobradas disciplinas da áreade direito como direito penal, processo penal e outros.

- Português é cobrado em todos os concursos.

Fonte: Professor de cursinho preparatório para concursos públicos, Allan Miranda

(Pryscila Soares/Diário do Pará)

NOTÍCIASRELACIONADAS